Folha de Búzios

Jornalismo como deve ser

Cidade

Namorada de João Maurício, ex-dono da Academia do Bosque, esclarece que buziano não foi negligenciado pelo hospital da cidade antes de morrer

A morte do buziano João Maurício de Menezes Peçanha, que foi proprietário da Academia do Bosque, chocou a cidade. A vítima, muito querida no balneário, tinha 47 anos e veio a óbito após ser atendido no Hospital Municipal Dr. Rodolpho Perissé.

Nas últimas semanas, uma matéria de um outro jornal de Búzios relata um possível áudio de João falando que foi negligenciado pelo hospital da cidade. Com a polêmica instaurada, a namorada de João conversou com o Folha de Búzios para esclarecer que, em momento algum, o companheiro se queixou do atendimento recebido no Rodolpho Perissé.

João e a namorada estavam juntos há cerca de um ano e meio. Ela, inclusive, fez o teste para Covid-19 e o resultado deu negativo. Por motivos de segurança, o Folha de Búzios vai preservar a imagem dela.

Confira abaixo o relato da namorada do buziano João Maurício ao Folha de Búzios:

“No dia em que ele foi ao hospital, quatro dias antes de falecer, eu estive com ele. Ele foi muito bem atendido por dois médicos, não tinha ninguém na fila de espera. Os médicos falaram que podia ser uma gripe forte, uma pneumonia ou os sintomas do Covid-19. Eles não deram certeza. O João saiu de lá, mas não quis ser medicado porque já tava tomando remédio de gripe em casa. Mas distorceram tudo o que ele disse em um outro jornal. Não foram negligente com ele. João saiu falando super bem do hospital de Búzios”

No dia que ele foi ao hospital, quatro dia antes de falecer, eu estive com ele

“Ele tinha plano de saúde, mas nem achou necessário ir pro plano de saúde justamente por ter sido tão bem atendido no hospital de Búzios. Eu cheguei a ouvir que o hospital queria entrar com uma ação por algo que uma que pessoa que já morreu nem falou. A matéria foi bem distorcida. É muito complicado, as pessoas de fora não sabem a dor de perder um ente querido. É momento pra termos respeito”

“O João mandou um áudio pra um grupo de amigos falando que estava comparando o atendimento que teve com os hospitais do Rio de Janeiro. Ficou muito surpreso mesmo pelo hospital de Búzios estar tão vazio, já que no Rio estão todos superlotados”

A família do João continua aguardando o laudo do IML.

Por Bebeto Karolla