Folha de Búzios

Jornalismo como deve ser

Cidade

Técnica de enfermagem de Búzios realiza sonho de trabalhar em Hospital Federal do Rio de Janeiro e ajudar no combate ao Covid-19

A vida da técnica de enfermagem Ester de Melo mudou radicalmente em razão da pandemia do Coronavírus. A jovem buziana de 23 anos encontrou, mesmo nesse momento tão difícil, a oportunidade de realizar um sonho: trabalhar em um Hospital Federal do Rio de Janeiro.

Ester Melo

Ester é contratada pelo município de Búzios, mas tem compromisso marcado no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, no Fundão, uma vez por semana. Nesta sexta-feira (15), enquanto estava no horário de almoço do plantão na capital do Estado, a técnica de enfermagem conversou com a reportagem do Folha de Búzios e relatou a experiência de estar na linha de frente do combate ao Coronavírus.

  • Como começou esse processo de buscar um trabalho em um hospital do Rio de Janeiro?

“Tudo começou com o início da pandemia. Vários processos seletivos saindo, hospitais de campanha sendo abertos em diversos lugares do Rio de Janeiro e eu fui me cadastrando. Já estava ficando sem esperança, foram chamando a primeira leva, segunda, terceira… eu só fui chamada na vigésima sétima leva”.

  • Trabalhar em um Hospital Federal sempre foi o seu desejo profissional?

“Sempre foi meu sonho. Num dia que eu estava de plantão em Búzios, fui olhar por acaso o site e meu nome estava lá. Ester de Melo convocada para o Hospital Federal de Bonsucesso. Ai começou a minha batalha. Fui ao Rio duas vezes para entregar documentos, fizeram entrevista, treinamento e, no final das contas, acabei ficando no hospital do Fundão, que é universitário”.

  • E como tem sido a experiência de realizar esse sonho?

“Tem sido uma experiência incrível! Assinei contrato de 1 ano pela Rio Saúde, me contrataram para o setor do Covid-19 no CTI com uma equipe maravilhosa. São 6 enfermeiros, 4 ténicos de enfermagem e 2 médicos. É uma experiência surreal mesmo. Aqui eles nos preparam, assim como aconteceu no Hospital de Búzios. Nos ajudam muito, conversam, ensinam. É uma situação meio crítica, complicada, muitos pacientes chegando, outros se recuperando. Até o momento, comigo, graças a Deus não teve óbito”.

  • E qual é a sensação de estar na linha de frente do combate ao Coronavírus, uma doença que atinge a população a nível mundial?

“Dá tristeza, dá medo, tem momentos de desespero. Mas tenho colocado Deus em primeiro lugar na minha vida e tomo os devidos cuidados, sou mãe de duas crianças também. É uma experiência que vou levar para o resto da vida, não é sempre que enfrentamos uma pandemia, mas ela infelizmente está ai atrapalhando o nosso país”.

  • E como é sair de uma cidade pequena como Búzios para enfrentar os desafios na capital do Estado?

“Sair de Búzios uma vez por semana pra vir trabalhar aqui não tem dinheiro que pague. É meu sonho profissional. Eu me sinto muito orgulhosa por estar aqui aprendendo, sou muito nova ainda. Com certeza é algo que contarei aos meus filhos e netos um dia”.

Por Juan Rodriguez

%d blogueiros gostam disto: