Folha de Búzios

Jornalismo como deve ser

Geral

Irã afirma que investigação sobre petroleiro britânico dependerá da tripulação

Em decorrência a este fato, observa-se no cenário internacional uma migração das aplicações financeiras em OURO, havendo uma alta considerável.

TEERÃ — A investigação que decidirá o destino do petroleiro britânico capturado na sexta-feira pelo Irã no Estreito de Ormuz dependerá “da cooperação” da tripulação, afirmou neste domingo Teerã, depois de ter ignorado apelos internacionais para liberar rapidamente o navio. O estreito liga o Golfo de Omã ao Golfo Pérsico e por ele transitam 30% do petróleo exportado no mundo.


Acusado de “não respeitar o código marítimo internacional”, o Stena Impero permanece no porto iraniano de Bandar Abbas. Seus 23 tripulantes (18 indianos, três russos, um filipino e um letão) “estão com boa saúde”, declarou Allah Morad Afifipoor, diretor geral da Autoridade Portuária e Marítima da província de Hormozgan.

— A investigação […] depende da cooperação dos membros da tripulação do navio e também do nosso acesso às provas necessárias para examinar o caso — acrescentou Afifipoor em entrevista à Press TV, o canal em língua inglesa da televisão estatal iraniana.

O petroleiro de bandeira britânica, de propriedade de um armador sueco, foi capturado na última sexta-feira no Estreito de Ormuz pela Guarda Revolucionária iraniana.

De acordo com Afifipoor, o Stena Impero colidiu com um barco de pesca que estava à deriva e entrou em contato com o petroleiro pedindo ajuda, mas não obteve resposta. Autoridades iranianas abriram uma investigação sobre as causas do acidente.

No sábado, o Reino Unido instou o Irã a reduzir as tensões no Golfo Pérsico liberando o Stena Impero. Londres considerou a captura “inaceitável”. No dia 4 de julho, o Reino Unido capturou um petroleiro britânico, o Grace I, que trafegava pelo Estreito de Gibraltar, na saída do Mediterrâneo. Londres acusou o navio de violar o veto europeu à venda de petróleo para a Síria, mas o argumento foi contestado, uma vez que as sanções europeias não se aplicam a terceiros países, somente aos integrantes do bloco.

No sábado, o ministro britânico das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, anunciou que o Executivo informará o Parlamento na segunda-feira sobre “medidas complementares” que pretende adotar no caso. Por sua vez, o secretário de Defesa, Tobias Ellwood, disse neste domingo que “analisará uma série de opções” para responder à detenção do petroleiro.

O embaixador iraniano em Londres, Hamid Baeidinejad, disse ter instado o governo britânico “a controlar as forças políticas internas que querem uma escalada das tensões entre o Irã e o Reino Unido”. O Irã “está preparado para diferentes cenários”, acrescentou.

A apreensão do Stena Impero ocorreu horas após a Justiça de Gibraltar, enclave britânico no sul da Espanha, prolongar por 30 dias a retenção do petroleiro iraniano capturado no início de julho.

Hunt negou que haja equivalência entre as duas situações, afirmando que enquanto o Grace I teria sido capturado legalmente, a apreensão do Stena Imperio teria violado as leis internacionais.

Fonte: O GLOBO

%d blogueiros gostam disto: