Folha de Búzios

Jornalismo como deve ser

Cidade

Cerca de 400 pessoas ficaram de fora do Show do Sorriso Maroto em Búzios

Por Bebeto Karolla e Paula Pereira

Debaixo de muito sol, diversas famílias ficaram indignadas com o ocorrido.

Mesmo pagando pelo ingresso do evento, muitas pessoas foram impedidas de acompanhar a apresentação do grupo de pagode Sorriso Maroto no último dia 02 de fevereiro. De acordo com os prejudicados, as informações a cerca do impedimento para entrar no show eram baseadas em uma ação judicial que impediria o acesso. Ainda de acordo com as testemunhas, três carros da PM ficaram na entrada do hotel proibindo o acesso. A PM por sua vez informou que apenas cumpria uma determinação da justiça.

Mas para quem veio de longe e não conseguiu assistir ao show do seu grupo favorito de pagode, a tristeza e decepção vão marcar por muito tempo.

“Eu paguei pelo ingresso e vim de Belo Horizonte só para ter a alegria de ver o Sorriso em Búzios. Era pra ser lindo e foi horrível. Eu fiquei das duas às oito da noite no sol, porque no horário de verão o sol é o dia todo. Só tristeza”. Lamentou Bárbara Torres , turista de Minas Gerais que veio com um grupo de oito amigos que se hospedaram no centro de Búzios.

Já para a moradora Edna de Souza, que sempre teve o sonho ver de perto os meninos do Sorriso, a decepção foi grande.

“Eu não entendo essa cidade, nunca tem nada , principalmente para quem mora aqui. A gente rala o verão inteiro e, numa rara oportunidade de ver um artista que você gosta na cidade, acontece algo lamentável como ser impedido de entrar num show pelo qual você pagou. Eu acredito que os shows da cidade deveriam ser do pórtico para fora pelo transtorno que causam tanto no trânsito como em todo resto. A moradora disse ainda que não entendeu nada, pois já tinha participado de shows no mesmo hotel. Ela acompanhou o eventos ‘Joy com Anitta’ ano passado e do cantor Belo no mesmo espaço e pretende assistir ao show do Pablo Vittar.

“Eu nunca fui a um show proporcionado pela prefeitura, eu paguei por todos. Nessa cidade morador só trabalha. Eu pedi folga antecipadamente para poder prestigiar meus artistas e perdi tempo e dinheiro. Estou decepcionada com Búzios”, acrescentou Edna.

Nossa reportagem buscou os representantes do Búzios Beach Resort que, prontamente atenderam e explicaram por nota o ocorrido.

Segue nota na íntegra:

“Em virtude do apresentação do grupo Sorriso Maroto que aconteceu para hóspedes e que também seria aberto ao público e que estava programada para o evento denominado “We Love Búzios”, informarmos que o Resort, por força de contrato celebrado, apenas cumpriu com seu dever de ceder o espaço para a realização do evento. Nesse sentido, informamos ainda que as empresas responsáveis pela organização do evento foram Vinícius da Hora dos Santos e Focus Entretenimento e Comunicação. Sendo assim, estas se comprometeram a providenciar e diligenciar toda estrutura, contratações e documentação necessárias para a execução do evento, bem como foram responsáveis pela divulgação, gestão, venda de ingressos e recebimentos. Lamentamos pelo ocorrido e informamos que os responsáveis acima informados tomarão as providências necessárias de modo a reparar os transtornos causados”.

Nós do Folha de Búzios tentamos contato com as empresas mencionadas, porém, até o momento da publicação da presente matéria não obtivemos respostas. Nós também conversamos com o presidente da Associação Comercial e empresarial de Armação dos Búzios, Thomas Weber, que disse ser de muita preocupação da Associação a estrutura de eventos com mais de duas mil pessoas. Para ele, em Búzios, independente de ser dentro ou fora da península, a estrutura viária, de segurança, de saúde e saneamento não é suficiente para atender mais de duas, três ou quatro mil pessoas num mesmo local e isso gera muita preocupação.

Buscamos ainda um esclarecimento da prefeitura de Búzios que também por meio de nota disse que:

O impedimento do show não envolve a Prefeitura de Búzios, foi uma determinação do 25º Batalhão da Polícia Militar (25• BPM).

Já o batalhão informou apenas estar cumprindo ordem judicial.

Uma outra moradora, durante nosso trabalho em campo para a apuração dessa matéria gritou de longe que o sorriso de Búzios já se perdeu faz tempo.

A empresa Boomerang Entretenimento & Comunicação entrou em contato com a nossa redação ás 22h35min desta terça-feira (05/02/2019) e por meio de nota, a empresa Vinicius da Hora Dos Santos (Boomerang Entretenimento & Comunicação), esclareceu que:

Em virtude do ocorrido no sábado dia (02/02/2019), onde estava programado o evento denominado “WE LOVE BUZIOS”, informamos que a produtora tomou todas medidas possiveis e cabivies aos licenciamentos e registros de documentações (Nada opor) dos orgão exigidos para o próprio ser realizado.Sendo assim, fomos pegos de supresa pela medida ABUSIVA e DESORGANIZADA do Batalhão de Policiamento Militar de Búzios, no qual fomos informados as 14:30h, 30 minutos antes do eventos começar que estava impossibilitada a entrada do publico externo alegando que não poderia e não tinha efetivo para estar dando segurança externa ao evento, pois segunda a própria, teria um aumento na mancha criminal de 40% quando tem evento na região e o batalhão só teria 4 viaturas disponível ao seu serviço. Tendo em vista que a produtora no mesmo prazo conseguiram o autorizadação da casa civil, corpo de bombeiro, prefeitura e entre outra orgãos sem qualquer impecilios. Informamos que disponibilizamos uma efeitivo de 60 seguraças (Triplo pelo publico estimado), 3 postos medicos, guias, orietadores e toda estrutura para total sergurança ao publico presente. Ficamos totalmente inconformados, pois já que 75% do policiamento da região (3 das 4 viaturas estavam o DIA TODO presente) por que não ter o evento? Por fim, comunicamos que tentamos até ultimo minuto através de meios jurídicos e nao conseguimos exito para liberaçãoe em tempo habil para realização do evento. Por isso demorarmos anunciar uma posição. Pedimos desculpas pelo ocorrido, e informamos que já esta disponivel o estorno da sua compra no local adquirido o ingresso.

Já a Foccus, também através de nota disse que:

A nossa empresa não tem nada com a legalização e nem na forma contratual do evento com o hotel! Nós fomos contratados para fazer a mídia e logística do show! Peço que faça contato com o hotel e que eles esclareçam os dados da empresa no qual fizeram o contrato! Nosso jurídico está tomando as devidas providências com o hotel por citar a Foccus como responsável!

%d blogueiros gostam disto: