Folha de Búzios

Jornalismo como deve ser

Cidade

Atleta de jiu-jitsu do bairro Rasa, em Búzios está lutando no oriente médio

Por Paula Pereira e Bebeto Karolla/ às 19h24min

Buziano de raiz, morador da periferia do Rasa e ex-aluno da Escola Municipal Ciléa Maria Barreto.

É assim que Tacio Carneiro faz questão de se identificar. Ele tem apenas 20 anos e está lutando no Qatar, conhecido oficialmente como um emirado do Oriente Médio, ocupando a pequena península do Catar, na costa nordeste da península. O país faz fronteira com Arábia Saudita ao sul, e o Golfo Pérsico envolve o resto do país.

E foi longe assim que o jiu-jitsu levou nosso atleta. Ele pratica o esporte há 13 anos e disse que em início de carreira teve a ajuda do professor Igor Rodrigues (baixinho) e que se lembra bem do sonho que tinha ainda garoto. Hoje ele coleciona títulos: foi 4 vezes campeão brasileiro de jiu-jitsu, 5 vezes campeão sul americano e vice campeão europeu.

“Eu sempre acreditei que seria referência para minha cidade e comunidade. Eu comecei por baixo, meus pais são trabalhadores braçais. Meu pai é marceneiro e minha mãe dona de casa, mas eu acreditei e consegui”.

Tacio é filho de Marcos Baiano e Rita. Ele disse que seus pais são exemplos pra ele de dedicação. Ele conta com orgulho e emoção que foram muitas as dificuldades, mas agora está bem.

O atleta fala com orgulho da comunidade da Rasa, ele disse que é muito importante que todos saibam de onde ele veio, pois isso valoriza quem está lutando por um espaço que ainda não chegou. Por isso ele mandou um recado para quem ainda está na luta por um lugar ao sol:

“Búzios hoje tem uma geração nova e muito boa de lutadores e o que eu posso dizer é que tem que ter muito foco e abdicar de muita coisa, mas é certo que vale a pena”.

Ele que, desde os 16 anos, não mora mais na casa da família por conta do trabalho, diz sentir muitas saudades de Búzios, mas se adaptou bem ao novo país, onde mora há um ano e meio. Segundo o jovem, a equipe da qual ele faz parte o trata muito bem e com muito respeito. Eles dão total suporte ao atleta e não fazem distinção cultural nem religiosa. Tacio é um lutador da Rasa como tantos outros,no ringue e na vida e é a prova de que sonhar e lutar vale a pena.

%d blogueiros gostam disto: