Folha de Búzios

Jornalismo como deve ser

Cidade

Empresa de estacionamento de Búzios é alvo de denúncias

Ex-funcionários denunciaram várias irregularidades.

O Jornal Folha de Búzios foi procurado por ex-funcionários da empresa Summer Parking, que preferiram não se identificar. A empresa é responsável pela cobrança do estacionamento nas ruas de Armação dos Búzios – RJ.

Os principais motivos que os trouxeram até nós são: não pagamento dos valores rescisórios, falta de depósitos de FGTS por parte da empresa, entre outras reclamações. Duas dessas pessoas disseram que foram demitidas e ainda não foi dada baixa em carteira. Uma ex-funcionária, que prestou serviços para a empresa no período de 2017/2018 disse que foi demitida e não recebeu seus direitos trabalhistas.

De acordo com ela, a mesma se dirigiu à Caixa Econômica Federal para verificar seu extrato de FGTS e, em mais de um ano de serviço, nem um real foi depositado para ela. Abalada, ela disse que as condições de trabalho eram bem cansativas e a empresa deixava muito a desejar, pois não levava água para eles nos pontos mais distantes, como a praia de Geribá, por exemplo. Ela revelou ainda ter percebido outras irregularidades, como guardas recebendo da empresa para multar placas de visitantes que não pagam ou ainda de MORADORES que reclamam ou orientam visitantes a não pagarem. Segundo ela, a empresa pede que os funcionários tirem fotos de placas para repassarem a esses agentes.

Ex funcionários permitiram fotos de suas carteiras.

Uma das pessoas que procurou nossa redação disse que trabalhou por pouco mais de um mês para a empresa e pediu demissão devido ao fato de o trabalho ser muito exaustivo. Ela disse que as vezes trabalhavam horas sem água havendo, inclusive, caso de funcionário passar mal e ser diagnosticado com DESIDRATAÇÃO ficando 3 dias afastado com atestado. De acordo com ela a empresa estipula metas que são: a cada R$ 600,00 que o orientador de tráfego vende para o cliente, ganha R$ 50,00 e, a partir de R$ 800 reais, o empregado ganha 10% do valor que vender, porém, apesar dela ter atingido a meta, tal valor não foi pago.

Outro ex-funcionário confirma que realmente faltava água e quando vinha era uma garrafa pequena para o dia todo e que na hora de almoçar se dividia entre engolir a comida e atender, pois, comia na rua mesmo. Ele afirma que trabalhou para Summer Parking no período de 2017/2018 e ainda não recebeu os direitos trabalhistas.

Reprodução de uma Carteira sem dar baixa.

Outro relato nos fala das, supostas, más condições de trabalho e revela que dois agentes da guarda municipal vão no final do dia à empresa buscar R$ 200,00 para multar veículos para a empresa. De acordo com essa fonte, esse valor é diário. Cada orientador de trafego chega a fazer R$ 1.000,00 ou mais em estacionamento por dia. Em praias como Ferradura e João Fernandes esse valor pode até dobrar na alta temporada, disse.

O Jornal Folha de Búzios, no mesmo dia em que recebeu as reclamações procurou a empresa para dar a sua versão dos fatos e foi informado de que o proprietário, o senhor Rafael Danan estaria fora da cidade, com retorno previsto para dia 25 de janeiro. As conversas com os ex-funcionários foram feitas separadamente a fim de cruzar informações e verificar o que era comum na declaração de todos. As partes envolvidas, que acharem necessário terão direito de resposta.

A empresa Summer Parking nos enviou uma nota que segue abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Ao tomar conhecimento verbal e superficial da matéria a ser publicada envolvendo os serviços prestados pela empresa de estacionamento Summer Parking, no município de Armação dos Búzios, matéria essa oriunda de informações prestadas por ex funcionários do estacionamento que, inconformados com as suas demissões, se propuseram, supostamente em concluío, divulgar uma série de inverdades a respeito dos procedimentos adotados pela empresa. Sendo assim, independente de outras providências judiciais ou extrajudiciais que possa vir a adotar, a empresa, desde já, assevera a todos os leitores que, trata com muito respeito e dignidade todos os seus colaboradores, mantendo o pagamento de seus salários em dia, fornecendo-os alimentação de excelente qualidade, água potável à vontade e bonés especiais com fator de proteção solar. Eventuais reclamações trabalhistas são dirimidas pela via judicial própria, sempre pautada pela razoabilidade e coerência em suas decisões.

Da redação

%d blogueiros gostam disto: